sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Arrependimento - Gino Iafrancesco

O primeiro chamado do evangelho é ao arrependimento; sem arrependimento não a evangelho. O chamado a fé inclui o arrependimento. A palavra grega traduzida para arrependimento é “METANOIA”, que é composta de duas palavras, “meta”, mudança, transformação, e “nous”, mente; tem a ver com a mudança da nossa mente, pois, como diz em provérbios 23-7: “Porque, como imagina em sua alma, assim ele é...”A pessoa se comporta segundo o ânimo com que enfrenta a vida, e tal ânimo é segundo o pensamento que ela abriga. Não pode, pois, mudar a sua conduta enquanto se tem no coração uma atitude negativa e de inimizade contra Deus. O propósito do evangelho é a reconciliação do homem com Deus, com os demais homens, e com o resto da criação. Daí a urgente necessidade de uma “metanoia”, que dizer, de um verdadeiro arrependimento, a mudança de uma atitude diante de Deus, dos homens e da natureza.
“Ora, não levou Deus em conta os tempos da ignorância; agora, porém, notifica aos homens que todos, em toda parte, se arrependam; porquanto estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça...” (Atos 17:30-31). A introdução do evangelho é esta: “Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus” (Mt 4:17); isso é o que Jesus começou a pregar e o que mandou seus apóstolos pregarem.“Assim está escrito que o Cristo havia de padecer e ressuscitar dentre os mortos no terceiro dia e que em seu nome se pregasse arrependimento para remissão de pecados a todas as nações, começando de Jerusalém.” (Lc 24:46-47). Jesus, pois, declarou: “Se não vos arrependerdes, todos igualmente perecereis.” (Lc 13:5); e o apostolo Pedro, com as chaves do Reino, quando foi perguntado pelo que haviam de fazer, abriu as portas com a irremovível declaração: “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo.” (Atos 2:38); e na porta chamada formosa, declarou: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados; a fim de que, da presença do Senhor, venham tempos de refrigério...” (Atos 3:19-20).
Não podemos começar a edificar o Reino de Deus sem arrependimento. Somente pessoas arrependidas entram no Reino; Não pode ter entrada quem permanece com o seu coração duro contra Deus, e os homens, destruindo a terra, sem reconhecer os seus pecados e obstinando-se soberbamente em suas ofensas ao Criador e suas criaturas.
Arrependimento significa, pois, reconhecimento da nossa culpabilidade, unido-a a uma confissão desta, pedindo perdão a onde corresponda, se só a Deus, o também aos homens em caso de haver-los ofendido; então com sinceridade e honestidade, decidir abandonar de agora em diante esse pecado, e propor-se, esperando e contando com á ajuda de Deus, a não más pratica-lo, procurando na medida do possível restituir o dano, tenha sido este contra a confiança, a honra, os bens,ou qualquer outra coisa. Nosso arrependimento deve abranger a todo pecado, injustiça ou transgressão, pois, néscio seriamos reservando-nos ao luxo de acariciar alguns pecados favoritos deixando apenas aqueles que menos nos escravizam. Devemos ser drásticos e honestos com nós mesmo, acatando na confiança e esperança da Sua Graça, a demanda divina. O Arrependimento é, pois, uma atitude integra de coração que se volta a buscar e fazer a perfeita vontade de Deus, apesar da nossa debilidade.
A graça de Deus é que faz o Espírito Santo nos convencer do pecado, da justiça, e do juízo; sim, é Deus que nos concede o arrependimento (2Tm 2:25). Por isso diante da nossa vileza e dureza, devemos a Deus levantar nossos olhos, pedindo que a sua graça nos converta (Jr 31:18). Enquanto tenhamos consciência da nossa responsabilidade, elevemos nossas suplicas a Deus, para que não nos abandone em nossos pecados, de sorte que nos fortaleça para o arrependimento. Sua graça que não tem tirado a nossa responsabilidade, e possibilitará nossa sincera conversão.
Além disso, o arrependimento não é uma experiência de uma única vez, de sorte que deve ser a experiência imediata diante de qualquer queda; a igreja também é chamada ao arrependimento (Ap 2: 5, 16, 22; 3: 3,19), e muito mais quando sabemos que não só há pecados de ação, se não que também de omissão, que dizer, quando sabemos que devemos fazer o bem e não fazemos (Tg 4:17).
À Apostasia voluntária que renega de Cristo lhe expondo ao vitupério, afasta a possibilidade de um futuro arrependimento (Hb 3:12-13); pelo qual a igreja, isto é, cada cristão, não deve deixar deslizar seu coração no endurecimento do pecado. A morada de Deus é um espírito contrito e humilhado, o qual assim, não será por Ele desprezado (Sl 34:18; 51:17; Prov.16:19; 29:23; Ecls. 7:8; Miq. 6:8).

Um comentário:

site disse...

Conferência 2010 - Cristo, o Reino e a Igreja, com o irmão Gino Iafrancesco em Outubro no Brasil http://bit.ly/cZsBSz

Irmãos em Cristo Jesus.

Irmãos em Cristo Jesus.
Mt 5:14 "Vós sois a luz do mundo"

Arquivos do blog