sábado, 14 de fevereiro de 2015

Uma Palavra aos Pais
A. W. Pink

Uma das mais infelizes e trágicas características de nossa civilização é a excessiva desobediência aos pais da parte dos filhos, quando menores, e a falta de reverência e respeito, quando grandes. Infelizmente, isto se evidencia de muitas maneiras inclusive em famílias cristãs.
Em nossas abundantes viagens nestes últimos trinta anos, fomos recebidos em muitos lares. A piedade e a beleza de alguns deles ainda permanecem em nossos corações como agradáveis e singelas recordações. Outros lares, porém, nos transmitiram as mais dolorosas impressões. Os filhos obstinados ou mimados não apenas trazem para si mesmos perpétua infelicidade, mas também causam desconforto para todos que se relacionam com eles e prenunciam coisas ruins para os dias vindouros.
Na maioria dos casos, os filhos são menos culpados do que seus pais. A falta de honra aos pais, onde quer que a achemos, deve-se, em grande medida, aos pais afastarem-se do padrão das Escrituras. Atualmente, o pai imagina que cumpre suas obrigações ao fornecer alimento e vestuário para os filhos e, ocasionalmente, ao agir como um tipo de policial de moralidade. Com muita freqüência, a mãe se contenta em desempenhar a função de uma criada doméstica, tornando-se escrava dos filhos, realizando várias tarefas que estes poderiam fazer, para deixá-los livres em atividades frívolas, ao invés de treiná-los a serem pessoas úteis. A conseqüência tem sido que o lar, o qual deveria ser, por causa de sua ordem, santidade e amor, uma miniatura do céu, degenerou-se em “um ponto de parada para o dia e um estacionamento para a noite”, conforme alguém sucintamente afirmou. Antes de esboçarmos os deveres dos pais em relação aos filhos, devemos ressaltar que eles não podem disciplinar adequadamente seus filhos, a menos que primeiramente tenham aprendido a governar a si mesmos. Como podem eles esperar que a obstinação de suas crianças sejam dominadas e controladas as manifestações de ira, se eles mesmos dão livre curso à seus próprios sentimentos. O caráter dos pais é amplamente reproduzido em seus descendentes. “Viveu Adão cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua imagem” (Gn 5.3). Os pais devem eles mesmos viver em submissão a Deus, se desejam obediência da parte de seus filhos. Este princípio é enfatizado muitas e muitas vezes nas Escrituras. “Tu, pois, que ensinas a outrem, não te ensinas a ti mesmo?” (Rm 2.21). A respeito do pastor ou presbítero da igreja está escrito que ele tem de ser alguém “que governe bem a própria casa, criando os filhos sob disciplina, com todo o respeito (pois, se alguém não sabe governar a própria casa, como cuidará da igreja de Deus?)” (1 Tm 3.5). E, se um homem ou uma mulher não sabem como dominar seu próprio espírito (Pv 25.28), como poderão cuidar de seus filhos? Deus confiou aos pais um solene e valoroso privilégio. Não exageramos ao afirmar que em suas mãos estão depositadas a esperança e a bênção, ou a maldição e a ruína da próxima geração.
Suas famílias são os berçários da Igreja e do Estado, e, de acordo com o que agora cultivam, tais serão os frutos que colherão posteriormente.
Eles deveriam cumprir seu privilégio com bastante diligência e oração. Com certeza, Deus lhes pedirá contas referente à maneira de criarem seus filhos, que a Ele pertencem, sendo-lhes confiados para receberem cuidado e preservação.
A tarefa que Deus confiou aos pais não é fácil, em especial nestes dias excessivamente maus. Entretanto, poderão obter a graça de Deus, se a buscarem com sinceridade e confiança. As Escrituras nos fornecem as regras pelas quais devemos viver, as promessas das quais temos de nos apropriar e, precisamos acrescentar, as terríveis advertências, para que não realizemos essa tarefa de maneira leviana.


Instrua seu filho
Queremos mencionar aqui quatro dos principais deveres confiados aos pais. Primeiro, instruir seus filhos. “Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as in- culcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te” (Dt 6.6-7). Este dever é sobremodo importante para ser transferido aos outros; Deus exige dos pais, e não dos professores da Escola Dominical, a responsabilidade de educarem seus filhos. Tampouco essa tarefa deve ser realizada de maneira esporádica ou ocasional, mas precisa receber constante atenção. O glorioso caráter de Deus, as exigências de sua lei, a excessiva malignidade do homem, o maravilhoso dom de seu Filho e a terrível condenação que será a recompensa de todos aqueles que O desprezam e rejeitam — estas coisas precisam ser apresentadas constantemente aos filhos. “Eles são pequenos demais para entendê-las” é o argumento de Satanás, visando impedir os pais de cumprirem seu dever. “E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor” (Ef 6.4). Temos de observar que os “pais” são especificamente mencionados neste versículo, por duas razões: eles são os cabeças das famílias e o governo desta lhes foi confiado; os pais são inclinados a transferir sua responsabilidade às esposas. Essa instrução deve ser ministrada através da leitura da Bíblia e de explicar aos filhos as coisas adequadas à sua idade. Isto deveria ser acompanhado de ensinar-lhes um catecismo. Um constante falar aos mais novos não se mostra tão eficiente quanto a diversificação com perguntas e respostas. Se nossos filhos sabem que serão questionados após ou durante a leitura bíblica, ouvirão mais atentamente: fazer perguntas os ensina a pensarem por si mesmos. Este método também leva a memória a reter mais os ensinos, pois o responder perguntas definidas, fixa idéias específicas em nossas mentes. Observe quantas vezes Jesus fez perguntas aos seus discípulos.

Seja um bom exemplo
Segundo, boas instruções precisam ser acompanhadas de bons exemplos. O ensino proveniente apenas dos lábios provavelmente será ineficaz. Os filhos são espertíssimos em detectar inconsistências e rejeitar a hipocrisia. Neste aspecto, os pais precisam humilhar-se diante de Deus, buscando todos os dias a graça que desesperadamente necessitam e somente Ele pode dar. Que cuidado eles precisam ter, para que diante de suas crianças não digam e façam coisas que tendem a corromper suas mentes ou produzam más conseqüências, se elas as imitarem! Os pais necessitam estar constantemente alertas contra aquilo que pode torná-los desprezíveis aos olhos daqueles que deveriam respeitá-los e honrá-los. Não apenas devem instruir seus filhos no caminho da santidade, mas eles mesmos devem andar neste caminho, mostrando por sua prática e conduta quão agradável e proveitoso é ser orientado pela lei de Deus. No lar de pessoas crentes, o supremo alvo deve ser a piedade familiar — honrar a Deus em todas as ocasiões —, e as outras coisas, subordinadas a este alvo.
Quanto à vida familiar, nem o esposo nem a esposa deve transferir para o outro toda a responsabilidade pelo aspecto espiritual da vida da família. A mãe com certeza tem a incumbência de suplementar os esforços do pai, pois os filhos desfrutam mais de sua companhia. Se existe a tendência de os pais serem muito rígidos e severos, as mães são propensas a serem muito brandas e clementes; portanto, têm de vigiar mais contra qualquer coisa que enfraquecerá a autoridade do pai. Quando este proibir alguma coisa, ela não deve consenti-la às crianças. É admirável observar que a exortação dada em Efésios 6.4 é precedida por “Enchei-vos do Espírito” (Ef 5.18); enquanto a exortação correspondente em Colossenses 3.21 é precedida por “habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo” (v. 16), demonstrando que os pais não podem cumprir seus deveres, a menos que estejam cheios do Espírito Santo e da Palavra de Deus.

Discipline seu filho
Terceiro, a instrução e o exemplo precisam ser reforçados mediante a correção e a disciplina. Antes de tudo, isto implica no exercício de autoridade — a correta aplicação da lei divina. A respeito de Abraão, o pai dos fiéis, Deus afirmou: “Porque eu o escolhi para que ordene a seus filhos e a sua casa depois dele, a fim de que guardem o caminho do SENHOR e pratiquem a justiça e o juízo; para que o SENHOR faça vir sobre Abraão o que tem falado a seu respeito” (Gn 18.19).
Pais crentes, meditem nestas palavras com cuidado. Abraão fez mais do que simplesmente dar conselhos: ele ensinou com vigor a lei de Deus e ordenou sua casa. As regras com que ele administrou seu lar tinham o objetivo de seus filhos guardarem “o caminho do SENHOR” — aquilo que era correto aos olhos de Deus. Este dever foi cumprido pelo patriarca a fim de que a bênção de Deus estivesse sobre sua família. Nenhuma família pode crescer adequadamente sem leis familiares, que incluem recompensas e castigos. Isto é especialmente importante na primeira infância, quando ainda o caráter moral não está formado e as crianças não apreciam ou entendem seus motivos morais. As regras devem ser simples, claras, lógicas e flexíveis, tais como os Dez Mandamentos — poucas mas relevantes regras morais, ao invés de centenas de restrições insignificantes. 
Uma das maneiras de provocarmos desnecessariamente nossos filhos à ira é atrapalhá-los com muitas restrições insignificantes e regras detalhadas e arbitrárias, procedentes de pais perfeccionistas. É de vital importância para o bom futuro dos filhos que estes sejam trazidos em submissão desde cedo. Uma criança malcriada representa um adulto ímpio — nossas prisões estão superlotadas com pessoas que tiveram a liberdade de seguirem seus próprios caminhos durante sua infância. A mais leve ofensa de uma criança quebrando as regras do lar não deve ficar sem a devida correção; pois, se ela achar clemência ao transgredir uma regra, esperará a mesma clemência em relação a outras ofensas, e sua desobediência se tornará mais freqüente, até que os pais não tenham mais controle, exceto através do exercício de força brutal. O ensino das Escrituras é claro quanto a este assunto. “A estultícia está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a afastará dela” (Pv 22.15; ver também 23.13- 14). Por isso, Deus afirmou: “O que retém a vara aborrece a seu filho, mas o que o ama, cedo, o disciplina” (Pv 13.24). E, ainda: “Castiga a teu filho, enquanto há esperança, mas não te excedas a ponto de matá-lo” (Pv 19.18). Não permita que uma afeição insensata o impeça de cumprir seu dever. Com certeza, Deus ama seus filhos com um sentimento paternal mais profundo do que você ama seus filhos, mas Ele nos diz: “Eu repreendo e disciplino a quantos amo” (Ap 3.19; cf. Hb 12.6). “A vara e a disciplina dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe” (Pv 29.15). A severidade tem de ser utilizada nos primeiros anos de uma criança, antes que a idade e a obstinação endureçam-na contra o temor e a pungência da correção. Poupe a vara e você arruinará seu filho; não a utilize e terá de sofrer as conseqüências. É quase desnecessário salientar que as Escrituras citadas anteriormente não têm o propósito de incutir- nos a idéia de que nosso lar deve ser caracterizado por um reino de terror. Os filhos podem ser governados e disciplinados de tal maneira, que não percam o respeito e as afeições por seus pais. Estejamos atentos para não estragarmos seus temperamentos, por fazermos exigências ilógicas, e provocá-los à ira, por castigá-los expressando nossa própria ira. O pai têm de punir um filho desobediente não porque ficou bravo, e sim porque é correto fazer isso — Deus o exige, bem como a rebeldia de seu filho. Nunca faça uma ameaça, se não tenciona cumpri-la. Lembre que estar bem informado é bom para seu filho, mas ser bem controlado é ainda melhor. Esteja atento às inconscientes influências que cercam seu filho. Estude meios para tornar seu lar atraente, não pela utilização de recursos carnais e mundanos, mas por servir-se de ideais nobres, por incutir- lhes um espírito de altruísmo e desenvolver uma comunhão agradável e feliz. Não permita que seus filhos se associem a más companhias. Verifique cautelosamente as revistas e livros que entram em seu lar, observe os amigos que ocasionalmente seus filhos convidam para vir ao lar e as amizades que eles estabelecem. Antes mesmo de o reconhecerem, muitos pais permitem seus filhos relacionarem-se com pessoas que arruínam a autoridade paternal, transtornam seus ideais e semeiam frivolidade e pecado.

Ore por seus filhos
Quarto, o último e mais importante dever, no que se refere ao bem-estar físico e espiritual de seus filhos, é a intensa súplica a Deus em favor deles. Sem isto, todos os outros deveres são ineficazes. Os meios são inúteis, exceto quando o Senhor os abençoa. O trono da graça tem de ser fervorosamente buscado, para que sejam coroados de sucesso os nossos esforços em educar os filhos para a glória de Deus. É verdade que precisa haver uma humilde submissão à soberana vontade de Deus, um prostrar-se ante a verdade da eleição. Por outro lado, o privilégio da fé consiste em apropriar-se das promessas divinas e em recordar que a ardente e eficaz oração de um justo produz muitos resultados. A Bíblia nos diz que o piedoso Jó “chamava... a seus filhos e os santificava; levantava-se de madrugada e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles” (Jó 1.5). Uma atmosfera de oração deve permear o lar e ser respirada por todos os que dele compartilham.

(Extraído da Biblioteca Reformada da ARPAV: www.geocities.com/arpav. Copyright ARPAV)

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

URIM E TUMIM
Por: Gino Iafrancesco

Oração.

  Graça e paz irmãos. Vamos orar. Querido pai celestial, Senhor que nos tem amado com amor eterno, que nos tem tirado da morte; quando estávamos mortos em delitos e pecados, nos deste vida Senhor, porque nos amaste primeiro; ninguém poderia fazer nada por si mesmo. Senhor, te agradecemos que nos tenha trazido até aqui; limpa-nos com teu precioso sangue de tudo o que somos, também de todas as nossas faltas; Senhor, concede-nos olhar a ti, porque somente no teu filho Senhor, estamos completos. Concede-nos descansar de nós mesmos, Senhor nessa provisão completa que tu nos dás; que possamos Senhor, estar atentos a ti em espírito, para ser alimentados e tocados por ti; nos confiamos, tal como somos, em tuas mãos, mas pelo sangue do Senhor Jesus. Fala-nos com o que queres falar por tua palavra; que te conheçamos a ti em tua revelação por tua palavra; essa palavra que nos fala de ti, Senhor; Tantas coisas e capítulos tem ela, mas tudo nos fala de ti; deixa-nos ver-te em tua palavra, e conquista nossos corações; surpreende-nos e a maravilha-nos, Senhor, para que sejamos atraídos e te sigamos, e não queiramos estar longe de ti, mas unidos a ti em todo tempo e para sempre. Abençoa Senhor, a palavra que lemos em tua presença, e sejas tu  aquele que pelo teu Espírito ressalte em nosso coração; que nosso coração seja  terra que bebe da água do céu e produza fruto para ti. Confiamos tudo isto em tuas mãos, porque é uma obra que só tu pode fazer; Em nome do Senhor Jesus, Amém!  

Introdução

    Irmãos, nesta manhã estaremos nesta primeira sessão, compartilhando algo da palavra que é muito rico, e que muito provavelmente só podemos ver uma parte; não é a intenção nem nesta reunião, nem sequer no acampamento, aprofundar tudo, porque há muitas outras coisas para receber através de outros irmãos também; não é a intenção tocar em tudo, mas pelo menos aquilo que pudermos, com a graça do Senhor.
    Eu não sei se todas as bíblias de vocês tem concordância, mas para os que tem concordância, quero começar citando os versículos da concordância; vamos nos ater nestes versículos juntos.  A concordância que tenho aqui, não é a exaustiva mas a breve. Agradecemos muito ao Senhor por nosso irmão C.P. Denyer, que dedicou dez anos de sua vida para fazer esta concordância desta versão Reina e Valera, que é a que eu tenho aqui; Há outras, mas esta nos ajuda muito; Assim aproveitamos o trabalho de dez anos de nosso irmão que reuniu estas palavras chave que vamos estudar neste dia. Então os convido a abrir a concordância na letra "U", até o final; agora vamos à palavra "Urim"; Lá onde diz "Urim" na concordância breve, embora há algumas concordâncias que não a tem; bom, podem tomar nota com lápis; aqui aparecem três versículos; claro que como é uma concordância breve, não aparecem todos; mas depois, nas notas de rodapé, quando estamos lendo as que estão na concordância breve, lá aparecem outras, amém!

Tipologia

   Então anotemos estes versos e vamos ler estes versos antes de comentá-los; vamos ler atentos ao Senhor. Se pedirmos ao Senhor que ele nos dê luz, que nos dê sabedoria, Ele nos dará; Ele disse: Peça a Deus. Estas são palavras da Bíblia que se referem a algo muito importante que está no peito do Sumo Sacerdote, muito entrelaçado com o que está sobre os ombros do Sumo Sacerdote. Sabemos que este Sumo Sacerdote é figura do Senhor Jesus, e de quem nos fala a Palavra de Deus, é do Filho de Deus, que nos mostra a Deus, amém? E também nos realiza nele. Então, embora a princípio poderia parecer


dez anos de nosso irmão que reuniu estas palavras chave que vamos estudar neste dia. Então os convido a abrir a concordância na letra “U”, até o final; agora vamos à palavra “Urim”; Lá onde diz “Urim” na concordância breve, embora há algumas concordâncias que não a tem; bom, podem tomar nota com lápis; aqui aparecem três versículos; claro que como é uma concordância breve, não aparecem todos; mas depois, nas notas de rodapé, quando estamos lendo as que estão na concordância breve, lá aparecem outras, amém!

Tipologia

   Então anotemos estes versos e vamos ler estes versos antes de comentá-los; vamos ler atentos ao Senhor. Se pedirmos ao Senhor que ele nos dê luz, que nos dê sabedoria, Ele nos dará; Ele disse: Peça a Deus. Estas são palavras da Bíblia que se referem a algo muito importante que está no peito do Sumo Sacerdote, muito entrelaçado com o que está sobre os ombros do Sumo Sacerdote. Sabemos que este Sumo Sacerdote é figura do Senhor Jesus, e de quem nos fala a Palavra de Deus, é do Filho de Deus, que nos mostra a Deus, amém? E também nos realiza nele. Então, embora a princípio poderia pareceruma coisa estranha, lembrem-se, vamos ler acerca do Senhor Jesus e da formação do Senhor Jesus no Corpo de Cristo.
  Olhemos a primeira palavra: Êxodo capítulo 28, versículo 30; está neste capítulo o relativo às vestiduras dos sacerdotes; e lembrem-se que estes sacerdotes, o sacerdócio, são figura de Cristo, amém? Leiamos isto com esta perspectiva. A palavra do Senhor nos diz que as coisas que se escreveram antes, para nosso ensino se escreveram; e que estão escritas para nós, os que alcançamos os últimos dias; nos diz que estas coisas são figuras, são sombra, são tipo. Não estamos somente com um interesse arqueológico de saber como se vestiam os antigos sacerdotes hebreus; deixemos esses interesses para os que seguem, são legítimos também, mas nosso interesse é espiritual, nosso interesse é conhecer algo mais a Cristo, e não somente que conheçamos de Cristo exteriormente, mas para que o Cristo que nos mostra a Palavra, se forme em nós.
  O que vamos ler em primeiro lugar, parece que não tem nada a ver conosco, mas sim, tem muito que ver, e tem que ver com a formação de Cristo em nós, e tem que ver com o governo de Cristo no espírito e segundo o Espírito. Então vamos ver primeiro os versos, para familiarizar-nos com eles, e deixemos que eles nos toquem, amém? Não tudo o que o Espírito Santo tem falado eu vou dizer; talvez apenas algumas coisas. O Senhor me conceda a graça de dizer; mas pode ser que a você que está lendo, o Espírito Santo fale mais, toque mais, e depois temos que completar as coisas entre todos com a ajuda do Senhor.



Parte das vestiduras sacerdotais, da tipologia e colaboração.

  Então vamos a Êxodo capítulo 28; fixem-se em que não vou ler todas as vestiduras sacerdotais neste momento, mas esta parte onde está o Urim e Tumim: Êxodo 28, verso 15; vamos ler a partir deste versículo, para poder ter o contexto completo do Urim: “Farás”. Aqui Deus pede a Seu Povo que lhe faça um peitoral com certas características onde se colocará Urim e Tumim; e o povo de Israel fazia estas coisas, que eram figuras externas; mas quando Deus disse: “Farás”, significa que para que Cristo se forme em nós neste aspecto específico, que com sua ajuda vamos começar a considerar, necessitamos colaborar com Ele. Ele disse: “Farás”; havia dito que lhe fizéssemos um altar, que lhe fizéssemos incensário, que lhe fizéssemos candeeiro e outras coisas; todas estas coisas são espirituais. Não é que Deus seja um desses antiquários que gosta de ter móveis raros; mas é uma figura; disse que Moisés escreveu tudo isto para testemunho do que se havia de dizer; e já no Antigo Testamento foram escritas por Moisés de maneira figurada; mas Moisés não trabalhava só para sua época, mas para que Deus usasse o que ele escreveu no que se havia de dizer. Hoje é o tempo do qual se havia dito; não apenas o dia de “hoje”, mas o “hoje” do Novo Testamento.

  Então desde o versículo 15; "Farás"; ali já estamos envolvidos; isto não se fará sem a nossa colaboração; e claro, nós sozinhos tampouco podemos fazer. Deus disse: O que guardar minhas obras até o fim; nós devemos guardar as obras dele; Ele é o que faz, mas o faz conosco (com nós);
por isso disse que façamos algo, mas é algo que Ele desenhou, que se refere a obra Dele em nós; mas quando disse antes, outras que vai dizer depois, e todas elas juntas nos vão revelando a plenitude de Cristo e do propósito eterno de Deus. Então, embora vemos isto, sabemos que não é tudo, mas que é importante, está lá; devemos cooperar com Deus na obra de Deus; ser colaboradores de Deus.


Peitoral do juízo

“Farás também o peitoral do juízo de obra primorosa” o peitoral do juízo, e agora também disse que esse peitoral do juízo é de obra primorosa; não se pode ser algo descuidado, mas algo primoroso. Devemos colaborar com Deus, fazer-lhe, porque não nascemos agora em Adão já perfeitos, mas que em Adão nascemos; claro que o primeiro homem Deus fez perfeito, mas ele se vendeu ao poder do pecado, e quando ele se reproduziu, todos nascemos torcidos; então agora é necessário colaborar com Deus para que isto se endireite, para que Ele nos restaure e nos faça conforme o que planejou; então é necessário colaborar para fazer ao Senhor, em colaboração com Ele, o peitoral do juízo. Primeiro sublinhemos as palavras chaves: esse peitoral está relacionado com o juízo; e muitas vezes nós não julgamos segundo o ponto de vista de Deus, mas do nosso, com preconceito, com o que Satanás tem obtido e confundido nossas mentes, porque realmente não é lavagem cerebral o que nos faz o diabo, mas ele suja nosso cérebro; não somos lavados; ele não nos lava, ele nos suja, nos faz perder o juízo. O que o Senhor quer é formar o juízo. O que o Senhor quer é formar o juízo de Seu Filho, que está representado aqui neste peitoral.
  Vocês lembram aquela passagem de Isaías 11 que diz que Ele não julgará pela vista de seus olhos, nem arguirá pelo o que ouçam os seus ouvidos, mas que julgará com justo juízo; e será justo, porque não é só, mas Ele com seu Pai, e o Pai com Ele; então Ele não será enganado, e também Ele quer formar-se em nós, para que também nós não nos enganemos, nem sejamos enganados, nem enganemos, não só a outros, mas a nós mesmos; porque esse é o problema; porque não somente enganamos a outros, mas que nos enganamos a nós mesmos; e Deus quer formar a Seu Filho em nós para que julguemos as coisas em Cristo, e a partir de Cristo; e ele nos vai dando certos elementos, e isso tem que receber nossa colaboração. O Senhor Jesus disse: Bem aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus; mas por outra parte ele disse que dos ímpios ninguém entenderá; e alguns pensam que estão entendendo mas ainda estão sem entender a Deus. Jesus disse: Vem a hora que qualquer que os mate, pensará que está prestando serviço a Deus; muitos estão colocando bombas para matar mulheres e crianças nos supermercados, e explodem, pensando que servem a Deus. Isso quer dizer que às vezes perdemos o juízo, e não julgamos com justo juízo, porque Satanás entenebreceu nosso entendimento, não se quer falar só do aspecto intelectual, porque também se está falando aqui da diadema na frente que tem uma lâmina de ouro: que






diz: Santidade a Yahveh; mas aqui agora se fala do peitoral, do coração; isso significa fazer Deus uma obra em nosso coração, para que possamos ser formados a imagem de Cristo; para isso fomos criados; e isso foi o que distorceu e prejudicou Satanás. E agora o Senhor tem que formar a Seu Filho em nós, para que vejamos as coisas a partir da vista de Deus, as conheçamos segundo Deus, segundo o Espirito, porque há maneiras diferentes de conhecê-las e mal entendê-las. 


Conhecendo segundo o Espírito

  Vocês lembram aquela passagem de 2ª aos Coríntios, do apóstolo Paulo, onde ele diz: E se ainda conhecemos Cristo segundo a carne, já não o conhecemos assim, ou seja, que há uma maneira de tratar de interpretar as coisas segundo a carne, segundo nosso juízo; e por isso diz Paulo: pecam, por seu próprio juízo. Então aqui o que o Senhor está querendo dizer é que devemos despojar-nos de nossa própria prudência, renunciar a nosso próprio juízo, mas não para ficarmos sem juízo, mas pedir ao Senhor que ele grave o Seu em nós, para julgar segundo o Espírito, segundo Cristo. Se não aprendermos a conhecer a Deus em Espírito, como vamos ser ovelhas? O que caracteriza as verdadeiras ovelhas de Deus é que conhecem o Senhor segundo o Espírito, e ao estranho não seguirão, porque não conhecem a voz dos estranhos, mas a voz do Pastor; ou seja, que o Senhor tem que forjar-se em nosso espírito, em nosso coração, em nosso entendimento, para que as coisas sejam verdadeiramente dadas no plano do Espírito, da Nova Criação; e esse é o verdadeiro plano da edificação de Deus; o próprio Senhor deve revelar-se a nós. E o Pai diz: todos teus filhos serão ensinados por Deus; o Urim e Tumim

“Semáforo”

  Perdoe-me o Senhor por usar esta seguinte palavra tão baixa, mas não estou encontrando outra melhor; se trata de um "semáforo" muito mais perfeito que esses que há por aí nas cidades; os semáforos das cidades só tem três cores: o verde, o amarelo e o vermelho; o verde nos diz que podemos passar; o amarelo nos diz que é pra ir freando com muitíssimo cuidado, e em algumas ocasiões dá pra passar, mas em outras é quase vermelho; não é vermelho mas é quase vermelho; e em outras é vermelho e tem que frear e não passar; isso é como um Urim e Tumim super rudimentar. O Urim e Tumim do Senhor é como um "semáforo" que não tem só três cores, mas que tem doze pedras preciosas que refletem a luz de muitas maneiras e muitas cores e que tem combinação umas com as outras. Sabem o que significa a palavra "Urim e Tumim"? A palavra Urim Tumim é uma palavra que vem do hebreu. A primeira "Urim", significa "luzes"; e "Tumim" significa"perfeições".
Às vezes não temos as luzes, mas às vezes temos a luz, embora seja apenas um pouco; necessitamos que nos siga trazendo luz, e que conheçamos ao Senhor realmente, porque as coisas às vezes são tão sutis.

Aparências

  Imagine, estava por vir o Enoque de Deus; mas Caim colocou o nome "Enoque" a seu filho; o mesmo nome, mas que diferença há entre Enoque e Enoque; o Enoque de Caim é uma coisa, o Unuk, a cidade dos Sumérios mais antigos, mesmo antes do Enoque de Set, aquele profeta que caminhou com Deus; em contrapartida, a cidade cainita de Enoque (Unuk, Uruk, Warca) nasceu quando Caim saiu da presença de Deus, e foi criando uma cidade segundo seu gosto, segundo seu próprio juízo, e edificou uma cidade chamada pelo nome de seu filho "Enoque". Mas o outro Enoque tinha o mesmo nome (iluminado), e quem iria imaginar que os dois teriam o mesmo nome, e às vezes pensamos que é um mesmo Enoque; às vezes não nos lembramos de que há dois que se chamam da mesma maneira, que tem o mesmo nome por fora, mas a diferença enorme está por dentro; a diferença é que o Enoque de Caim foi o que seguiu a linha de Caim, dos iluminados de Satanás, que isso é o que quer dizer "Enoque",iluminado; mas há um Enoque iluminado por Deus, sétimo desde Adão, da linha de Set, que caminhou com Deus, e Deus o levou. Satanás faz que as coisas sejam parecidas, e se alguém não as julga segundo o Espírito e a Palavra de Deus, conhecendo a Deus, é enganado.Aparências

  Imagine, estava por vir o Enoque de Deus; mas Caim colocou o nome "Enoque" a seu filho; o mesmo nome, mas que diferença há entre Enoque e Enoque; o Enoque de Caim é uma coisa, o Unuk, a cidade dos Sumérios mais antigos, mesmo antes do Enoque de Set, aquele profeta que caminhou com Deus; em contrapartida, a cidade cainita de Enoque (Unuk, Uruk, Warca) nasceu quando Caim saiu da presença de Deus, e foi criando uma cidade segundo seu gosto, segundo seu próprio juízo, e edificou uma cidade chamada pelo nome de seu filho “Enoque”. Mas o outro Enoque tinha o mesmo nome (iluminado), e quem iria imaginar que os dois teriam o mesmo nome, e às vezes pensamos que é um mesmo Enoque; às vezes não nos lembramos de que há dois que se chamam da mesma maneira, que tem o mesmo nome por fora, mas a diferença enorme está por dentro; a diferença é que o Enoque de Caim foi o que seguiu a linha de Caim, dos iluminados de Satanás, que isso é o que quer dizer “Enoque”,iluminado; mas há um Enoque iluminado por Deus, sétimo desde Adão, da linha de Set, que caminhou com Deus, e Deus o levou. Satanás faz que as coisas sejam parecidas, e se alguém não as julga segundo o Espírito e a Palavra de Deus, conhecendo a Deus, é enganado.

Também há dois Lameques: um Lameque que era pela linha de Caim, que veio a ser aquele Lameque terrível, pai da bigamia, da poligamia, que dizia que se Caim iria ser vingado sete vezes, ele iria ser vingado setenta vezes sete. E o pai de Noé se chamava da mesma maneira que Lameque. Por fora pareceria que todavia há um só Lameque na Bíblia. Alguns acadêmicos sem o Espírito pensam que era o mesmo Lameque, e que eram dois documentos distintos que se referiam a mesma pessoa, mas não, a Bíblia é inspirada por Deus, não há confusão de documentos na Bíblia, mas sim há confusão na mente de alguns acadêmicos que não tem o Espírito; é algo muito diferente. O Senhor que deu a inspiração à Bíblia disse: As Escrituras não podem ser quebradas; não podemos lançar culpa à Biblia, nem ao Senhor por nossos maus entendimentos; Deus falou bem; nós somos os que entendemos mal; e sobre tudo se adicionamos, se retiramos ou somamos; assim nós vamos seguir enganando a nós mesmos e a outros, e podemos nos converter em instrumentos de Satanás. Há, pois, outro Lameque  que foi o pai de Noé, que é diferente do outro Lameque; são dois Lameques; São dois Enoques, são dois Lameques; tem o mesmo nome, mas não são a mesma coisa; por que deixou Deus estes exemplos na Bíblia? Precisamente para que nós não nos deixemos enganar; mas seremos enganados sem o toque e a revelação de Deus, e sem a formação espiritual de Cristo em nossos corações. E Deus se refere a nossa participação: “Farás também o peitoral” lá onde se põem as pedras, onde aparecem as luzes e as perfeições.

Reflexo conjunto

Às vezes, como que por fora nós queremos que as coisas sejam assim e assim, mas dentro de nós sabemos que há algo que não está em harmonia, que não se parecem com a harmonia das luzes e das perfeições do reflexo das doze pedras preciosas, que não tem luz própria, mas que foram desenhadas para refletir juntas a única Luz que recebem , a Luz de Deus; a Luz de Deus chega à essas doze pedras, e embora essas doze pedras são diferentes e cada uma recebe uma impressão desde um ângulo, e a outra está em outro ângulo e vai receber outra impressão da mesma luz, tem que juntar todas as luzes e todas as perfeições para interpretar com equilíbrio o assunto. Tinha que consultar a Deus através do Urim Tumim, tinha que olhar o “semáforo” só que este semáforo” tem doze pedras que refletem a luz, cada uma segundo sua própria função; e todas essas pedras tem que mostrar juntas as perfeições de Cristo, Sua multiforme graça e sabedoria. A palavra “perfeição” vocês sabem com quem está relacionada.

Se lembram de Efésios? Sabem o que diz Efésios? A medida do varão perfeito, o corpo todo, todas as doze pedras, o corpo todo tem que crescer à medida do varão perfeito; às vezes nós vamos mais além da medida, ou nós ficamos mais aquém da medida; então não há todavia perfeições; todavia as perfeições de Cristo, o equilíbrio de Cristo, não se forma em nós, e vamos a um extremo ou nós vamos a outro extremo; me entendem irmãos? Não vamos ler somente de gemologia, mas do Senhor Jesus formado na Igreja, a medida do Varão Perfeito, a medida de Cristo. Então por isso a segunda palavra é “Tumim”, perfeições; mas não pode haver Tumim sem Urim; Urim é luzes; e o que é o contrário de luzes? Escuridão; e o que é o contrário de perfeições? Imperfeições. Nós vamos para lá ou para lá, mas nos falta aqui, ou nos falta lá; e para que o Senhor possa polir tudo isso na medida, necessitamos colaborar e dizer-lhe: Senhor, me consagro a ti, não quero ser enganado por mim mesmo, nem quero ser desequilibrado, não quero estar inclinado para cá nem para lá, não quero esconder nada, quero ser transparente para que tua luz possa entrar, refletir e harmonizar com as luzes de outros irmãos porque a graça e a sabedora de Deus são multiformes, e por isso são doze pedras, mas as doze pedras tem que concordar. Urim e Tumim é como o Concílio de Jerusalém que conclui e diz: Tem parecido bem ao Espírito Santo e a nós, havendo chegado a um acordo...Não impormos outras coisas, mas apenas estas mínimas necessárias. Devemos encomendar-nos a Deus e logo estar atentos a Luz de Deus pelas pedras preciosas que são os doze Apóstolos do Novo Testamento; e no Antigo Testamento são o testemunho das Doze Tribos que se representam nestas doze pedras. As pedras representam aos Apóstolos, e eles tinham seus nomes nas pedras; e representam também as tribos de Israel; cada tribo era uma pedra, e todas juntas são Urim e Tumim. Se trata do discernimento do corpo no Espírito; como diz a palavra: arraigados Nele, para que sejais capazes, como diz em Efésios 3, de compreender com todos os santos as medidas de Cristo. Os que estão na nova vida, os que estão movendo-se no Espírito, os santos, são capacitados para compreender com todos os santos quais sejam as medidas de Cristo; medidas de profundidade, de comprimento, de largura, de altura, entende? De altura, porque às vezes somos muito curtos de vista, ou não temos a extensão de Cristo, ou às vezes somos muito estreitos de coração, não temos a largura, a amplitude (largura em português, mas amplitude em espanhol, pois "la anchura de Cristo", em espanhol, é largura em português, largura é amplitude, e por isso, como há aqui irmãos do Brasil, digo das duas maneiras).

  O que é isso do comprimento, a largura, profundidade e altura? Essas são as medidas de Cristo; então Cristo tem que forjar Suas medidas em nós; e o fará, se cooperarmos com ele; quer dizer, Aquele que quer ser meu discípulo, tome sua cruz e siga-me; então aí, quando tu te consagras, Ele pode trabalhar o coração; e trabalha o coração de cada um para que possa concordar com o coração dos outros, e também compreender juntos; esse é o arco íris que formam essas distintas pedras com distintas cores. Marcos olha daqui, Lucas de lá, Mateus daqui, João de lá, mas todos estão vendo desde seu ângulo a Cristo; mas Cristo é tão rico, tão grande, que necessita ser visto de muitos ângulos.

Exemplos de ângulos nas bem aventuranças

  As mesmas Bem Aventuranças são vistas de ângulos diferentes por Mateus e Lucas, e não é que seja uma contradição; só que a zafira é uma pedra simétrica e a calcedônia é uma pedra meio complicada; e as duas são preciosas, mas cada uma reflete a luz, a multiforme graça e a multiforme sabedoria, de ângulos diferentes; mas essas pedras tem que estar juntas para que se veja este lado de Cristo e também o outro lado. Vamos dar um exemplo: Se você for às Bem Aventuranças como conta Mateus, e for às Bem Aventuranças como conta Lucas, você vê que Mateus e Lucas são duas pedras distintas, e as duas são preciosas, as duas refletem a luz; mas a luz do Senhor é tão rica e tem tantos ângulos e arestas que é necessário vê-la de muitos ângulos; e nós pensamos que nosso ângulo é o único, como se diz por aí: a última coca-cola no deserto; e não é assim. Nós temos visto um lado, e outros irmãos tem visto outro lado; e necessitamos da plenitude de Cristo vista legitimamente de todos os ângulos da terra.
  Então, Mateus havia sido rico, e quando ele fala dos pobres, tem que adicionar algo que também está no Espírito de Cristo, porque Deus não exclui os ricos; então diz: "Bem Aventurados os pobres em espírito"; mas Lucas diz simplesmente: "Bem Aventurados os pobres", ponto; isso dos pobres em espirito é verdade para alguns, mas simplesmente pobres em geral, também é verdade para a maioria, porque Lucas está com outro pano de fundo, é outra pessoa, tem uma história diferente, e ele começou a conhecer a Cristo, e se fixou em uns detalhes, e claro, Mateus se fixou em outros detalhes.
    Ninguém se fixou na exceção das regras matrimoniais, mas Mateus sim; não sabemos que coisas teriam acontecido, de que coisas teria sabido, para lembrar-se e fixar-se na exceção, salvo neste caso; esse “salvo” ou exceto, não menciona Marcos, não menciona Lucas, não menciona João, não menciona Paulo; mas Mateus menciona da boca de Jesus duas vezes: Em Mateus 5 e em Mateus 19 menciona  o regime da exceção; parece que os outros não estavam tão interessados em registrar a condição que o Filho de Deus havia estabelecido no regime ordinário do assunto do matrimônio, divórcio e recasamento, mas Jesus também havia estabelecido uma exceção; mas as vezes, se eu não estou muito interessado nessa exceção, é uma exceção, é uma exceção que talvez não vou mencionar; mas graças a Deus que Mateus mencionou da boca de Jesus, e solucionou um montão de problemas a um montão de cristãos, porque se fixou em algo que outros não se fixaram, porque Deus colocou Mateus nesse ângulo, e a Lucas em outro ângulo.
  Quando Mateus diz: "Bem Aventurados os que tem fome e sede de justiça porque eles serão saciados", Lucas diz: "Bem Aventurados os que tem fome e sede", não diz só de justiça, mas de pão, fome de pão, sede de água, que também é verdade; o Senhor não somente se preocupou pela justiça, mas também pela saúde, pela boa alimentação. Como vamos dizer ao necessitado: - O Senhor te abençoe-, mas o deixamos ir com fome, com sede. Não há contradição, mas é que um captou as coisas a partir de seu ângulo, mas Lucas tinha uma sensibilidade social diferente à de Mateus, porque Mateus havia sido publicano, mas Lucas médico, vê? Mateus só menciona as bem-aventuranças, mas Lucas também os ais.

Conjugando as cores na brancura de Cristo

  O ângulo de Nicodemos era um, o ângulo da samaritana era outro; e Jesus disse a Nicodemos o mesmo que à samaritana, mas o disse de duas maneiras diferentes. A Nicodemos disse: se não nascer de novo, não pode entrar no reino dos céus; nascer de novo, nascer da água e do Espírito, e essa água pode ser símbolo do batismo, mas também símbolo da água viva do Espírito de Deus; e o que disse à samaritana? Traga o teu marido e vem aqui; e ela disse: não tenho marido. E começa a conversação; vocês recordam; mas lhe disse esta frase: a água que eu te darei, o que beber dela, não terá mais sede; de que estava falando? Da mesma coisa. Qual é o pano de fundo do que disse a Nicodemos? É o novo nascimento, é a vida no Espírito, que também é o fluir da água vida; Falou do mesmo, mas a cada um se mostrou segundo sua necessidade. Nicodemos era um homem religioso mas que não havia nascido de novo, e a samaritana era uma mulher pecadora que necessitava ser consolada, ser saciada, e também nascer de novo; se dão conta do que quer dizer a multiforme graça e a multiforme sabedoria? É o reflexo de Cristo a pessoas em distintas condições, que estão com distintos panos de fundo, com distintos problemas, e cada um está vendo as coisas desde seu próprio ponto de vista; e o Senhor chega com sua luz, e quando essa pedra está sendo talhada e começa a ter condições de refletir a luz que recebe, uma reflete a luz de cor vermelha como o rubí, outras azul como a Zafira, ou amarelo, ou alaranjado como uma classe de Topázio; e no fim, é a mesma luz, pois a luz inclui todas as cores, e todas as cores do arco- íris estão dentro da mesma luz; mas quando passa por aqui, como este tem ferro, a reflete vermelha, e como este tem cromo, a reflete verde, mas o outro tem vanádio e também a reflete verde, mas não é o mesmo verde, como quando vemos todos esses verdes, olhem quantos verdes há; mas se todos os verdes forem iguais, só veríamos uma mancha verde; mas veja este verde mais amarelinho, outro mais escurinho, olhem o da palma do coco, o verde da folha da bananeira, o desta árvore e o do outro, o do pasto; multidão de verdes; e assim é o Senhor, Sua graça e sua sabedoria multiforme só se pode conhecer plenamente no contexto e concerto do corpo único de Cristo, onde a plenitude de Cristo
se forma, e que então apareça a harmonia entre os apóstolos, que são distintos num mesmo concílio. Tem parecido bem ao Espírito Santo e a nós, e a carta apostólica diz a conclusão do Urim Tumim, porque havia uma consulta.
  Será que se pode comer morcilha? Se pode comer qualquer frango que nos servem? Uns dizem que sim, outros que não; por fim, chegou-se a uma conclusão: Urim: Luzes; Tumim: perfeições. Havendo chegado a um acordo, a formação de Cristo no corpo, distintas luzes mas uma só luz. Eu sou a luz diz Jesus, mas também diz: vós sois a luz; a luz em Jesus é branca, que inclui todas as cores; mas está repartida nos apóstolos; por aqui é vermelha, por aqui é alaranjada, por aqui é amarela, por aqui é verde, etc... e às vezes parece que se contradizem, mas realmente não se contradizem, um está falando de um aspecto, e outro está falando de outro aspecto. Somos nós que não entendemos bem, mas na luz branca se conjugam todas as matizes. O problema é que nós queremos fazer a denominação perfeita de nosso matiz, independentes totalmente dos demais membros do corpo de Cristo, e assim deixamos de conhecer a Cristo como Ele é, e as perfeições do Filho nós escurecemos; mas devemos chegar todos juntos, como corpo, à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, à medida da estatura de Varão Perfeito que é Cristo, a medida que conjuga muitas medidas de comprimento, de largura, de profundidade e altura. Luzes e perfeições, isso é o que quer dizer Urim Tumim, que no Antigo Testamento era uma figura, mas a realidade espiritual é a formação de Cristo no corpo para representar toda a Palavra de Deus na Igreja, a última palavra de Cristo formando-se na Igreja.   

Julgando com justo juízo

  Por isso diz a carta aos Efésios: a fim de que sejais capazes de compreender com todos os santos, as medidas de Cristo, e o amor de Cristo que excede todo entendimento; e por isso tem que consultar ao Senhor, para ver que luzes nos dá o Senhor; e não consultar somente só, mas juntos, orando e submetendo o assunto a Deus, e depondo nosso próprio juízo natural, para que conheçamos o juízo de Deus, o do Espírito do Pai e do Filho, que é o Espirito Santo; conhecendo segundo o Espírito, e ao Espirito segundo a Palavra; o Espirito Santo, não outro espírito com minúscula, mas o Espírito de Deus com maiúscula; que a Igreja comece a ter um discernimento ajustado e exato das coisas, não caricaturizado com acréscimos ou diminuições para ridicularizar; o Senhor não nos permite ridicularizar. É um grande perigo chamar a nosso irmão louco (fatuo); quem o faz está exposto a gehena de fogo, mesmo que temporalmente. Então é necessário aprender a julgar com justo juízo, segundo a Palavra, segundo o Espirito, segundo o consenso do corpo quando está no Espirito, porque não estamos promovendo um concílio sem a Palavra e sem o Espirito. Primeiro é o Espirito e a Palavra, e então os que estão no Espirito e andam segundo a Palavra, e por isso tem um consenso verdadeiramente espiritual, porque chegaram a ter as mesmas luzes, e então chegaram a declarar as mesmas perfeições de Cristo.
  Então por isso essas palavras: “peitoral do juízo”; isso é o que está fazendo o Senhor na terra com a Igreja; primeiro trabalhando com cada pessoa, e logo: se dois ou três de vós se põem de acordo, mas não acordo na mentira, não acordo na máfia, nem na bandidagem, nem na calunia, nem na distorção, mas de acordo em Cristo. O que ligares na terra, será ligado no céu; porque isso já não provém de nossos problemas, mas provém da formação de Cristo; as coisas provém da formação de Cristo; as coisas provém da formação de Cristo na comunhão do Espirito; Ali é onde Cristo  vai se formando, e essa palavra é séria, e essa palavra tem autoridade em Deus porque tem a natureza de Cristo, é conforme a palavra de Cristo; e os irmãos que estão no Espírito e procuram andar no Espírito a discernem segundo o Espirito. Como diz a Escritura: julgando o espiritual pelo espiritual, discernindo espiritualmente, porque existem os preconceitos, existem as mentiras, existem as calúnias; existe Enoque e Enoque; parece que foram o mesmo, mas não; tem que perguntar: Qual Enoque? O do Caim ou o de Set? Qual Lameque?, O de Caim ou o de Set? Um Lameque foi o pai da poligamia, o violento; se dão conta, irmãos?
    É verdade que necessitamos o Urim Tumim do Novo Testamento; e o que nos liga com o Novo Testamento são essas palavras chave como estas que estamos lendo aqui. A primeira palavra chave: "O peitoral do juízo"; aqui a palavra "juízo" não quer dizer necessariamente uma crítica negativa, destrutiva, não, aqui a palavra "juízo" significa julgar com justo juízo; às vezes o juízo declara inocente ao que nós injustamente declaramos culpável, e culpável ao que se declara inocente. Juízo não é prejuízo, juízo é ver culpabilidade ou não, se é verdade ou se é mentira, se é exagerado ou não. Porque o falso testemunho é tão parecido com a verdade, mas é falso; Embora  se diz Enoque, não é o Enoque de Set; Embora se diz Lameque,  não é o Lameque de Set, mas é o de Caim.


Falsos Testemunhos

  Fixem-se com que juízos acusaram a Jesus Cristo: -Este disse que construiria o Templo em três dias; mas em quarenta e seis anos foi levantado este Templo, mas ele disse que o levantaria em três dias-. Agora, disse ou não disse? Mas quem o entendeu bem? E quem quis entender mal? Porque às vezes, de propósito entendemos mal para poder acusar e justificar nossas ações.
  Quando acusavam Paulo, o que diziam? – Este homem é uma peste, vai por todas as partes, vai por todas as sinagogas dividindo os judeus, levantando-se contra Moisés e contra a circuncisão. - Era uma peste? Não; ía pelas sinagogas dizendo que não é necessário guardar a Lei de Moisés nem circuncidar-se? Não exatamente assim. Se tu ler Gálatas, parecerá que disse, mas não disse no sentido de Tértulo, mas no sentido do Espirito Santo, que a lei não justifica, nem se recebe o Espirito Santo pela lei, mas ela é útil para ensinar, redarguir, e o Espirito cumpre e magnifica a lei; O que é diferente do falso testemunho de Tértulo, que estava em seu negócio de advogado, e lhe pagavam para que fizesse com que olhassem para Paulo como uma peste; para isso o pagavam, e usavam frases que pareciam verdade, mas tiradas do contexto e tiradas do verdadeiro Espirito. Assim são os falsos testemunhos.

  Vocês creem que os falsos testemunhos vão vir com cara de diabo, com chifres, com tridente? Qualquer um se daria conta de que este é o diabo; mas vem como anjos de luz; é tudo tão sutil, e se não se consulta com Deus, vai ser enganado. Às vezes somos cumplices em certos pecados, e por isso se juntam as aves de mesma plumagem. É necessário ser muito cuidadosos irmãos. Este peitoral do juízo quer dizer discernir as coisas no coração a partir da luz de Deus, a luz refletida através de distintos ministérios, de distintos membros do corpo, que estão em distintos ângulos e cada um reflete a luz de uma cor distinta, mas essas luzes são harmônicas, se complementam uma com a outra e nos mostram a Cristo com equilíbrio, não em desequilíbrio, porque no desequilíbrio há injustiça. É como preparar uma fórmula que era para ser um remédio, mas o que fazemos é um veneno porque colocamos demais deste elemento e não colocamos este que esquecemos e resultou num veneno ao invés de um remédio; Isso é não ter em conta as medidas reais e exceder (desmedirmos) em algumas coisas e calar em outras, sabendo-as, e não pormos atenção quando ouvirmos o latido, como de um cachorro em nossa consciência.

  Então os ímpios não compreenderão; os justos compreenderão, os limpos de coração verão a Deus. Aquele que quer fazer a vontade de Deus, ou seja que depende realmente de Deus, que o que quer  é o de Deus, então esse conhecerá se a doutrina é de Deus, ou se fala por sua própria conta.

  Enlace do Peitoral com o Éfode

  Outra palavra que está muito relacionada, e a vemos nos outros versículos da concordância, porque apenas estamos vendo as palavras principais, justamente é o enlace que enlaça o peitoral com o éfode. Vemos como também se conjugam as argolas do éfode com as do peitoral, por onde passa o cinto sacerdotal a altura do peito; e outros detalhes, como aquelas tranças que sustém e mantém um com o outro, dois ou três, trançados às pedras do éfode; também o detalhe das argolas do peitoral, todo entrelaçado, com equilíbrio entre uma coisa e outra; não só esta nem só aquela; não só o do ombro, não só o do peito, mas o do peito com o do ombro; também os entrelaçados por tranças de ouro, não de pelo de cabra.

Ilustrações nos livros de Samuel, Sofonias e Ezequiel

  Então olhem aqui onde se diz "Urim", em 1º Samuel 28:6, quando Saul foi consultar uma adivinha; olhem que perigo quando Deus não responde a pessoa; se mete em bruxaria. 1º Samuel, capítulo 28; vamos ler desde o 3, somente umas palavras, até o 6: "E já Samuel era morto, e todo o Israel o tinha chorado, (Samuel era quem recebia a palavra de Deus, e não deixou cair em terra nenhuma de Suas palavras; isso  caracterizou o ministério de Samuel, que foi o de edificação da monarquia e o início dos profetas, dos Nebiim; e diz: “e lhe haviam sepultado em Ramá, sua cidade. E Saul havia desterrado os encantadores  e adivinhos. Se ajuntaram, pois, os filisteus e vieram e acamparam em Sunem; e Saul ajuntou a todo o Israel, e acamparam em Gilboa. (Todos estes nomes tem significado). E quando viu Saul o acampamento dos palestinos (porque filisteus é a palavra: philistmn, que quer dizer palestino, é a mesma coisa; os palestinos são os filisteus) teve medo, e se turbou seu coração em grande maneira. E consultou Saul a Yahveh”, e esta palavra: consultar, é muito importante, tem a ver com o Urim Tumim, e ele consultou, mas não consultou sobre a base adequada, se dão conta? Para consultar a Deus, é necessário vir sobre a base adequada; se vens sobre uma base inadequada, com assuntos irresolutos, Deus não responde e não há direção de Deus, porque há assuntos que não foram resolvidos. 

    Segue dizendo: "mas Yahveh não lhe respondeu nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas. Então Saul disse a seus criados: Busca-me uma mulher que tenha o espírito de adivinhação." Se foi para o lado de Caim, o lado da serpente, porque Deus guardou silêncio; Deus não quer guardar silêncio, Deus quer que tenhamos o céu aberto, que tenhamos Seu Espírito de sabedoria e de revelação, mas olhem o que aconteceu em Ezequiel 14.
  Vamos lá para Ezequiel 14, que está intimamente relacionado, “vieram a mim (ou seja, a Ezequiel) alguns dos anciãos de Israel, e se sentaram diante de mim”. Ou seja, eles fizeram todo o teatro de fazer as coisas, como se tivessem feito retamente; vieram “consultar” Deus, entre aspas, por meio de Ezequiel, mas isso era só o teatro, aparência, não era a realidade do coração; não era, não era o coração, mas para não aparecer assim tão desconectados, fizeram todo o teatro, mas Deus não gosta de teatro mas o coração limpo. Deus disse assim a Ezequiel: “E veio a mim a palavra de Yahveh dizendo: filho do homem, estes homens tem posto seus ídolos em seu coração, e tem estabelecido o tropeço de sua maldade diante de seu rosto”; eles já decidiram, eles dizem que vem consultar, mas eles já decidiram de antemão, antes de ouvir a resposta à consulta, eles não tinham boa vontade para a luz e a verdade, mas para o que eles estabeleceram a partir de sua maldade. Então o que diz a Escritura? Diz o Senhor assim, verso 3 do capítulo 14: Acaso devo eu de alguma maneira ser interrogado por eles? Ou seja, Deus não se deixa consultar porque não estão sobre a base de buscar sinceramente a verdade e de depor o juízo próprio e sua própria justiça e prudência, e deixar que seja a luz de Deus que ilumine as coisas.
    Vou ser consultado por eles? Se eles já estabeleceram de antemão o que escolheram, não amam a mim, amam seus ídolos, eles querem isto, isto e isto; mencionou uma pluralidade de ídolos, mas fizeram o teatro de consultar a Deus, mas estavam aferrados ao que queriam. Acaso iria Deus responder esta consulta? Nem sequer falou com eles, como não falou com Saul. Então Saul se voltou para o espiritismo; se dão conta, irmãos, de quão delicado é isto? Isto tem a ver com consulta; o Urim Tumim era consultado para que o juízo de Deus apareça, mas se não se consulta, ou se  consulta sobre base errada, não há resposta, não há luzes nem há perfeições.

  Vamos a Sofonías, a esse pedacinho que nos falta; todo este livro é tremendo, mas vou ler algumas frases do contexto para sublinhar uma palavra especial; diz assim desde o cap.1 v.2, para chegar ao v.6: "Destruirei por completo todas as coisas da face da terra, diz Yahveh. Destruirei os homens e as bestas, destruirei as aves do céu e os peixes do mar, e cortarei aos ímpios; e destruirei os homens de sobre a face da terra, diz Yahveh. Estenderei minha mão sobre Judá e sobre todos os habitantes de Jerusalém, e exterminarei deste lugar os restos de Baal, (não estava todo Baal, mas havia uns restos, e nem sequer esses restos o Senhor queria ver) e o nome dos ministros idólatras com seus sacerdotes; e aos que sobre os telhados se prostram ao exército do céu, e aos que se prostram jurando por Yahveh e jurando por Malcã; (eram misturas) e aos que deixam de seguir a Yahveh ( e olhem esta frase) e aos que não buscaram a Yahveh, nem lhe consultaram.

  Quantas vezes ouvimos coisas, e nos alegramos porque agora podemos atuar de certa maneira; mas essas coisas são assim de verdade? Notem-no, assim o dizem, mas a questão é esta: O que diz Deus? Tem consultado a Deus? Tem perguntado a Deus? Tem se despojado de preconceitos, e quer conhecer o que Deus tem para dizer? Ou somente julgas pelo o que ouvem teus ouvidos, e como tu também tens problemas parecidos, então se juntam as aves de mesma plumagem. Irmãos, é necessário consultar a Deus, a Deus, de coração sincero, e consultar-lhe não com preconceitos estabelecidos; É necessário dizer a Deus: -Senhor, não quero ter nenhum ídolo diante de mim, nem pela direita, nem pela esquerda, nem este, nem o outro, nenhum; quero ver as coisas a partir de seus olhos, dependo de ti-, porque diz o Senhor: filho meu, não te apoies em tua própria prudência, confia-te de Yahveh completamente, de todo teu coração e Ele endireitará tuas veredas; mas se não o fazemos, não somos limpos de coração. Acaso,
diz o Senhor, hei de ser consultado pelos que tem estabelecido seu próprio tropeço em seus corações? O mundo tem uma história longa de confusões criadas por Satanás, com preconceitos, com falsos testemunhos assim, alongando o nariz, pondo grandes lunares nas orelhas pontiagudas, e assim caricaturas das coisas, -Ah! Mas se vocês souberem o que nós sabemos-insinuam para sugerir imagens.  Faz 20 anos que estamos aguentando-dizem nebulosamente sem fatos concretos; e quantas coisas cabem lá! O que especificamente, quando, que dia, como, havia algumas testemunhas, como foi a coisa? Houve oportunidade para a descarga? Se dão conta? Mas se eu quero e me alegro, me faço cúmplice; Deus nos guarde a todos. Os guarde a vocês de tudo; até de mim os guarde o Senhor; consultem ao Senhor mesmo, para que Deus possa mostrar Suas luzes e Suas perfeições. Vamos parar aqui.

  No nome do Senhor Jesus. Não nos deixe enganar a nós mesmos, ou enganar ou pretender enganar; ajuda-nos a expor tudo à Tua luz, que tua luz e tua perfeição, a perfeição de Cristo, possa nos corrigir e possa nos julgar, possa nos moldar e  possa nos levar a um consenso segundo Teu Espírito, segundo a multiforme sabedoria de Deus e a multiforme graça de Deus desde os distintos ângulos. Senhor, reina Tu e reinem Teus interesses sobre os nossos, no nome de Jesus, amém e amém.


Gino Iafracesco V., 29 de junho 2012; Sasaima, Cundinamarca, Colômbia.
        
“Extenderei minha mão sobre...os que se apartam de seguir após Jeová, e aos que não buscaram a Jeová, nem lhe consultaram”.

                                                                                         Sofonias 1:4ª, 6

“Então pareceu bem aos apóstolos e aos anciãos, com toda a Igreja...escrever por intermédio deles: Os apóstolos e os anciãos e os irmãos, aos irmãos...Por quanto temos ouvido que alguns que  saíram dentre nós, aos quais não demos ordem, vos tem inquietado com palavras, perturbando vossas almas, mandando circuncidar-se e guardar a lei...Porque tem parecido bem ao Espírito Santo, e a nós, não impormos nenhuma carga mais que estas coisas necessárias: nos tem parecido bem, havendo chegado a um acordo”

                                                                 Atos dos Apóstolos 22ª, 23ª, 24, 25ª, 28










RÚBEN
odem
sardio

NATANAEL

Elul
Bethulah
Virgem
SIMEÃO
pitheda
topázio

TIAGO A.

Quisleu
Kesith
Sagitário
LEVI
berequet
berilo

TOMÁS

Bul
Akrab
Escorpião
JUDÁ

nefek
esmeralda

ANDRÉ

Rebyhy
Aish
Câncer

sapir
zafira

TIAGO Z.

Zive
kimah
Touro
NAFTALI

yahalom
crisopraso

TADEU

Tebete
Gedi
Capricórnio
GADE

Ieshem
Jacinto

SIMÃO Z

Sabate
Scheat
Aquário

ASER

Shebu
Calcedônia

JOÃO

Sivã
Thaumim
Géminis
ISSACAR

ejelama
ametista

MATIAS

Adar
Dagim
Piscis
ZEBULOM

tarshish
crisólito

MATEUS

Etanim
Mozanaim
Libra
JOSÉ

shoham
sardônica

FILIPE

Hamyshy
Arieh
Leão
BENJAMIM

yasfe
jaspe

PEDRO

Abibe Nisã
Taleth
Áries

E ligarão o peitoral, com os seus anéis, aos anéis do éfode por cima, com um cordão de azul, para que esteja sobre o cinto de obra esmerada do éfode; e nunca se separará o peitoral do éfode.
Assim Arão levará os nomes dos filhos de Israel no peitoral do juízo sobre o seu coração, quando entrar no santuário, para memória diante do Senhor continuamente.
Também porás no peitoral do juízo Urim e Tumim, para que estejam sobre o coração de Arão, quando entrar diante do Senhor: assim Arão levará o juízo dos filhos de Israel sobre o seu coração diante do Senhor continuamente.


                                                                                                                                                                                                     Êxodo 28:28-30


Depois pôs-lhe o peitoral, pondo no peitoral o Urim e o Tumim;

                                                                                                                                                    levítico 8:8


E apresentar-se-á perante Eleazar, o sacerdote, o qual por ele consultará, segundo o juízo de Urim, perante o Senhor; conforme a sua palavra sairão, e conforme a sua palavra entrarão, ele e todos os filhos de Israel com ele, e toda a congregação.

                                                                                                           Números 27:21

E de Levi disse: Teu Tumim e teu Urim são para o teu amado, que tu provaste em Massá, com quem contendeste junto às águas de Meribá.
Aquele que disse a seu pai, e à sua mãe: Nunca os vi; e não conheceu a seus irmãos, e não estimou a seus filhos; pois guardaram a tua palavra e observaram a tua aliança.
Ensinaram os teus juízos a Jacó, e a tua lei a Israel; puseram incenso no teu nariz, e o holocausto sobre o teu altar.
Abençoa o seu poder, ó Senhor, e aceita a obra das suas mãos; fere os lombos dos que se levantam contra ele e o odeiam, para que nunca mais
se levantem.

                                                                       Deuteronômio 33:8-11



                                                                                                                                                                                                     O Senhor mandará que a bênção esteja contigo nos teus celeiros, e em tudo o que puseres a tua mão; e te abençoará na terra que te der o Senhor teu Deus.
O Senhor te confirmará para si como povo santo, como te tem jurado, quando guardares os mandamentos do Senhor teu Deus, e andares nos seus caminhos.
E todos os povos da terra verão que é invocado sobre ti o nome do Senhor, e terão temor de ti.
E o Senhor te dará abundância de bens no fruto do teu ventre, e no fruto dos teus animais, e no fruto do teu solo, sobre a terra que o Senhor jurou a teus pais te dar.
                                                                                             Deuteronômio 28:8-11
   
                                                                                                                                                                               



  E consultou Saul a Jeová; mas Jeová não lhe respondeu nem por sonhos, nem por Urim , nem por profetas.

                                                                                                       1 Sm 28:6


  "E o governador lhes disse que não comessem das coisas mais santas, até que houvesse sacerdote para consultar com Urim e Tumim" 

Irmãos em Cristo Jesus.

Irmãos em Cristo Jesus.
Mt 5:14 "Vós sois a luz do mundo"